Horário: De Segunda à Sexta das 9.00 às 18.00 horas

Programação Especial – A Experiência De Viver Na Cultura Tibetana, Com Karen Portaluppi

Teremos quatro encontros especiais com Karen Portaluppi, que deixou sua profissão na área de recursos humanos e há três anos mora em Dharamsala, onde aprende a língua tibetana e a filosofia budista.

(15 de fevereiro – quarta-feira – das 19hs às 21hs) – Minha experiência de aprender tibetano em uma comunidade tibetana no exílio
Karen irá compartilhar por que quis aprender a língua tibetana e os motivos por trás da decisão dela de largar uma vida corporativa em São Paulo para levar uma vida de estudante na Índia. Quais foram os principais desafios para aprender o tibetano e como ela lida com isso?

(18 de fevereiro – sábado – das 10h30 às 12h30) – Noções básicas sobre a língua tibetana
Karen irá apresentar um breve histórico sobre a língua tibetana e noções sobre o alfabeto, gramática, sons, etc. Além disso, ela discutirá áreas em que o conhecimento da língua tibetana é muito vantajoso: textos budistas, ciência, medicina, literatura, astrologia. Ela vai demonstrar ainda como ler algumas palavras e frases em tibetano. 

(20 de fevereiro – segunda-feira – das 19hs às 21hs) – Uma brasileira vivendo e estudando na Índia
Para aqueles que têm curiosidade ou que têm interesse em visitar ou morar na Índia, Karen vai contar como foi o planejamento de viagem dela. Vai também abordar a vida multifacetada na Índia: diferenças de cultura, culinária, higiene, custo de vida. Além disso, ela vai contar como tem sido a oportunidade de trabalhar como voluntária, de conviver com as famílias locais e de interagir com indianos, tibetanos e estrangeiros. Ela também vai compartilhar informações sobre a vida em Dharamsala com o Dalai Lama, sobre budismo, sobre retiros, etc.

 (22 de fevereiro – quarta-feira – das 19hs às 21hs) – Educação para as monjas tibetanas na comunidade tibetana: minha impressão pessoal
A educação da monjas tibetanas passou por transformações sem precedentes nos últimos seis anos. No ínicio, as monjas ficavam, em sua maioria, responsáveis por atividades relacionadas a rituais, mas, atualmente, por sugestão do Dalai Lama, elas têm se engajado seriamente no estudo da filosofia, da lógica budista, da ciência da mente, etc. Elas também participam das complexas práticas do debate budista. Atualmente, elas podem ser tornar uma Geshem (equivalente a um título de doutorado em filosofia budista), depois de estudar por 15 ou 20 anos. Karen também discutirá um pouco da visão dela sobre as monjas budistas que interagem com ela diariamente em Dharamsala.

Karen Portaluppi mora em Dharamsala há 3 anos, estudando a língua tibetana e a filosofia budista. Ela veio ao Brasil de férias para visitar seus pais. Antes de se mudar para a Índia, ela trabalhava em São Paulo na área de recursos humanos. Ela se formou em engenharia química.

Todos os encontros acontecem na Tibet House Brasil, localizada na Alameda Lorena, 349, Jardim Paulista.

Contribuição sugerida: 30 reais cada sessão
As pessoas interessadas devem se inscrever enviando um e-mail para events@tibethouse.org.br